terça-feira, 23 de agosto de 2016

CORDEL BAIANO DA RESISTÊNCIA

Este é um momento de luta
Contra um golpe intentado
Por uma gang inimiga
Que vive do que é roubado:
Vamos ter de reagir,
Cara amiga, meu prezado!

Enquanto é tempo, eu lhes chamo
Pra lutar contra os bandidos
Que estão por trás do golpe,
Lá nos Estados Unidos,
Porque querem o Brasil
Cada vez mais desunido.

Este golpe já começa,
Com o caso Mensalão
Onde a imprensa escalou
O ministro Joaquinzão,
Que aliado a Gurgel,
Comandou a armação.

A jogada era acabar
A moral das lideranças
De esquerda que, com o povo,
Promoveu boas mudanças,
Ao melhorar nossas vidas
E aumentar a esperança.

Pegaram José Dirceu,
E o Genoíno também,
Que foram bem humilhados,
Pra que virassem ninguém
Diante de nosso povo
Pra quem só fizeram bem.

Farsa contra Pizzolato
A PGR inventou,
Com o chefe Antonio Fernando,
(E o Gurgel continuou);
A coisa é tão vergonhosa,
Que o STF abafou!

Já o mensalão mineiro,
O do PSDB,
Que começou muito antes,
E já estava a feder,
Foi logo interrompido,
Para Aécio não sofrer.

A imprensa mentirosa
Só desancava o PT,
Para que, em 2012,
O seu PSDB
Pudesse ganhar prefeitos
E a oposição crescer.

***


Os interessados em conhecer o poema completo escrevam para:
jrjoaoroch@gmail.com

quarta-feira, 15 de junho de 2016

CORDEL BAIANO CONTRA A ATUAL CONJUNTURA

O poeta, João Augusto, mantém sua verve afiada e está atento aos acontecimentos políticos nacionais. Veja um pouco dos seus versos nos trechos abaixo:

01
Nascido neste país,
Eu, há muito, fui menino,
Mas nunca vi entre nós
Dar-se um golpe  tão cretino,
Como esse, contra Dilma,
Pelo Vice, hoje interino.
02
Vampiro, na aparência,
Traidor por vocação,
Sua figura temerária
Só vive naconfusão,
No meio do machostério
Quase todo de ladrão.
03
Ele não sabe o que diz
E anda todo perdido,
Para parecer valente,
Bate a mesa, enraivecido,
E o que diz aos ministros:
- Eu sei tratar com bandido!
04
Um velho de minha terra,
De pensamento bem puro,
Compara esse machostério
Com o abacateiro maduro:
- A cada dia cai um,
Só falta o Vicepé-duro.
05
Já caíram dois ministros,
E outrosdevem cair,
Pois já foram colocados
Com a tendência de sair,
Por tentarem, simplesmente,
A Justiça obstruir.

Para conhecer o folheto na íntegra escreva para: jrjoaoroch@gmail.com

SOBRE O AUTOR E SUA OBRA

João Augusto de Lima Rocha é professor e poeta popular. Nascido em Gameleira do Açuruá, município de Gentio do Ouro-Ba.Cursou Engenharia Civil na Escola Politécnica da UFBA, onde ensina. É Diretor Acadêmico da APUB-Sindicato.
Estudioso da obra de Anísio Teixeira, organizou a fundação que leva o seu nome, em 1989, da qual foi o primeiro diretor executivo, sendo hoje membro do Conselho Curador. É o organizador da obra Anísio em Movimento, editada pela Editora do Senado, na coleção Biblioteca Básica Brasileira. Dentre os folhetos de cordel que publicou, destacam-se:“A vez que Saddam Hussein veio a Guanambi pra contratar um delegado de polícia”; “A vida e a outra vida d’Ele o Tal Cuíca de Santo Amaro”; “O padre que soltou a franga na Festa de Santos Reis”; “Bin Laden chega na Lapa disfarçado de romeiro”; “O senador sacrista e o outro que rasgou a lista”; ”Acordo é pra ser cumprido”;  “Santos Dumont o pioneiro das alturas”; “A interligação  do Rio das Tripas com as bacias do ministro”; “A união de Guanambi com Caetité para construir a bomba atômica” Taradinhos do impíchiman”. FHC é o PAI, ou Por essa nem Dr. Gibson esperava!; O prefeitim da Scin não pode mandar em mim;Lula, pra ser condenado,só se for por laticínio!