domingo, 17 de abril de 2016

CORDEL BAIANO NA XV SEMANA DE LETRAS DA UCSAL

O poeta, Jotacê Freitas, participará da Mesa Redonda - A Literatura Baiana hoje, dia 19, a partir das 19 horas, falando da sua experiência e suas publicações em Literatura de Cordel. Elton Magalhães, poeta e professor, será o Coordenador da mesa que conta ainda com os escritores Karina Rabinovitz, Daniela Galdino e João Filho.

domingo, 13 de março de 2016

CORDEL BAIANO NAS FEIRAS DE SALVADOR

Para maiores informações clique na imagem e leia no Correio*.
 O Cordel Baiano marca presença no Projeto Música Livre. Trata-se de apresentações musicais nas principais feiras livres de Salvador. O forrozeiro Celo Costa é o anfitrião dos encontros que começaram dia 11/03 na Feira de São Joaquim com Antonio Barreto e o músico Joaquim Carvalho como convidados; dia 12/03, foi a vez da Feira de Itapuã com os convidados Bule Bule e o ator Jackson Costa; dia 17/03 será a vez da Feira do Parque da Cidade, no Itaigara, com as participações de Maviael Melo e Jackson Costa; dia 19/03 na Feira do Japão, no bairro da Liberdade, se apresentarão com Celo Costa, Felipe Mago e Gabriel Bandarra; e, finalizando, dia 20/03, na Feira do Nordeste de Amaralina, estarão presentes Marquinhos Café e Zé Costa. A ideia do projeto é da produtora e terapeuta holística, Valéria Magalhães, contemplada com o Edital Arte em Toda Parte, da Fundação Gregório de Matos, da Prefeitura Municipal.
Salvador precisa de mais projetos como este e mais espaço para a cultura sertaneja, afinal de contas, somos também nordestinos.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

PATRIMÔNIO IMATERIAL DA CULTURA BRASILEIRA

 A ABLC – Academia Brasileira de Literatura de Cordel e a ACRESPO – Associação dos Cantadores Repentistas e Escritores Populares do DF e Entorno solicitaram ao IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional o registro do Cordel e do Repente, respectivamente, como Patrimônio Cultural do Brasil. A Câmara Técnica do Conselho Consultivo analisou as propostas e as considerou pertinentes dando início à construção da pesquisa e documentação sobre o tema.
Na Bahia, a professora e pesquisadora Andrea Betânia, da UNEB, é a responsável por esse processo e está realizando uma série de entrevistas com poetas e cantadores na capital e no interior pois acredita que é de extrema relevância a nossa participação que, melhor do que ninguém, conhecemos e praticamos essas manifestações culturais de extraordinária importância para a cultura e também a educação brasileira.
Torcemos para o sucesso da empreitada e que o registro como Patrimônio Imaterial sirva para fomentar a produção e a divulgação do cordel e do repente.
Andrea Betânia e Jotacê Freitas após a entrevista.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

CORDEL NO CARNAVAL BAIANO 2016

Como numa profecia, João Rocha, antecipou a revolta dos ambulantes no carnaval da Bahia protestando contra a liberação de apenas uma marca de bebida alcoólica ou refrigerante durante os festejos. Esse mal afetou também a Fonte Nova e o Ceasa do Rio Vermelho. Espaços públicos privatizados impedindo o cidadão de livre escolha de consumo. Eles alegam patrocínio para manutenção dos espaços ou pagamento de artistas. Leiam abaixo algumas estrofes do novo folheto desse poeta que está sempre atento às injustiças sociais:

Amigos, o Carnaval
É festa da liberdade,
E aqui em Salvador,
Falo com sinceridade,
Nunca vi proibir marca,
De cerveja, na cidade.

O transporte coletivo,
Na Capital não existe,
Quem sai de casa bem cedo
Chega no trabalho triste,
E a imprensa, comprada,
Trata tudo como chiste.

Agora vendeu de vez
Salvador para a Schin
Proibindo qualquer marca
Que não rime com Grampim;
Não convence as nega dele,
E quer convencer a mim!

No Carnaval de dez dias
Quem ganha é o aedes aegypit:
Vai ser uma epidemia,
Caro leitor, acredite,
Acho que a saúde pública
Tem de botar um limite.

A gripe, como se sabe
Já é tradicional
Todo mundo adoece
Logo após o Carnaval,
Mas agora, com a zika,
A coisa é mais anormal.

No Carnaval, bem se sabe,
Surge muita gravidez
Aí o mosquito morde,
Pois aqui ele tem vez
E se o cuidado foi pouco...
O microcéfalo se fez.

Quem irá pagar depois,
Pela vida condenada
De um ser que foi gerado
No meio da timbalada,
Devido a uma picadura
De mosquito, à madrugada?

Eu, por mim, vou à Mudança
Do Garcia, animado,
Pra juntar com As Muquiranas
Naquele agito danado,
Todo mundo de mulher,
Mas muito pouco viado.


O lançamento foi feito na Lanchonete PEDAÇO DO CÉU, no Garcia, durante o esquenta da Mudança, na segunda-feira, 8/2. Os interessados em ler o cordel completo escrevam para o poeta no seguinte endereço: jrjoaoroch@gmail.com

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

CORDEL BAIANO NO CINEMA BAIANO

 A controversa história da Guerra de Canudos, final do século XIX, no arraial fundado pelo líder místico Antonio Conselheiro, dizimado por tropas militares, ganha uma nova versão cinematográfica. Com direção de Manoel Neto, professor e coordenador do CEEC – Centro de Estudos Euclides da Cunha; fotografia de Roque Araújo; montagem de Ilo Alves; e uma performance do poeta Antonio Barreto apresentando a narrativa com versos de cordel. O filme foi lançado no último dia 17 de dezembro na Sala Walter da Silveira, nos Barris. Mais detalhes, clique abaixo:


Clique na imagem para ler o folheto.